Futebol Brasileiro

Caio Lucas relembra Mundial de 2018 e revela torcida para o Palmeiras: 'Tem muita chance'

Jogador brasileiro que defende atualmente o Sharjah FC, dos Emirados Árabes, disputou a final do Mundial de Clubes em 2018 contra o Real Madrid e foi premiado com a Bola de Prata

Por Larissa Carvalho

Caio Lucas foi eleito o 2º melhor jogador do Mundial 2018(Getty Images)

Caio Lucas foi eleito o 2º melhor jogador do Mundial 2018 | Getty Images

O meia direita Caio Lucas, de 27 anos, relembrou com exclusividade à nossa reportagem o Mundial de Clubes de 2018. Naquela ocasião, ele chegou à final contra o Real Madrid vestindo a camisa do Al Ain, dos Emirados Árabes, depois de ter marcado um gol e vencido o River Plate nos pênaltis pela semifinal. Agora, a torcida é pela vitória do Palmeiras contra o Chelsea. 

Embora seja são-paulino de coração, Caio reforça que é brasileiro e não esconde a torcida pelo Alviverde nesta final. Além disso, mostrou-se otimista com o Verdão no que diz respeito ao aproveitamento de oportunidades.

Acho que (os jogadores) devem estar muito ansiosos para entrar em campo. Creio que irão fazer um bom jogo e vai ser um grande espetáculo para quem irá assistir. Com certeza o Palmeiras tem chance de ser campeão, tem uma equipe muito qualificada. Assisti ao jogo do Chelsea contra o Al-Hilal, o Chelsea deu muitas oportunidades e tenho certeza que, se o Palmeiras tiver essas oportunidades, não vai errar. Não sou palmeirense, mas sendo brasileiro é claro que vou torcer para o Palmeiras. Futebol é uma surpresa." 

Caio se destacou no Mundial de 2018, marcou um gol importante para passar da semifinal e foi eleito o 2º melhor jogador. Mesmo com a derrota por 4 a 1 para o Real Madrid, com gol inclusive do brasileiro Vinícius Jr., ele não esconde a felicidade por ter chegado ao 2º lugar da competição e comenta com sorriso no rosto a premiação da Bola de Prata.

Bale foi eleito o melhor jogador, Caio, o segundo, e Borre, o terceiro
Bale foi eleito o melhor jogador do Mundial 2018; Caio, o segundo; e Borré, o terceiro

Pra nós, sairíamos no primeiro jogo, estávamos jogando contra um time da Nova Zelândia, estávamos perdendo de 3 a 0 no primeiro tempo, então achamos que tudo acabaria ali. Mas ganhamos o jogo e chegamos até a final. Foi um sentimento de sonho realizado. Chegamos a um lugar que nem o próprio país pensava que chegaríamos. Me senti jogador de verdade. Cheguei em casa e abraçava o troféu."

Cerca de quatro anos depois, novamente Caio participa da final do Mundial de Clubes. Dessa vez, não é dentro de campo, mas sim dando um "pitaco" ao comandante português Abel Ferreira sobre a melhor maneira de preparar o time visando vencer os Blues:

Ele (Abel) tem que fazer o jogo dele, não pode recuar, tem que jogar o Palmeiras como ele é, time pra frente, muito agressivo e mostrou isso contra o time do Al Ahly. Porque o Al Ahly não jogou, não teve oportunidades de sair com a bola, então acho que se ele pressionar e os jogadores estiverem focados, tenho certeza que o Palmeiras vai sair bem nessa. Não posso falar se vai ser campeão ou não, mas tem muita chance."

Comentários