Blogs

O tempo afeta a todos, até Messi e Cristiano Ronaldo

ETs e robôs podem ser diferentes de nós, "meros mortais", mas não são imunes à ação da passagem do tempo

Por Gabriel Menezes

1/2
Messi caiu nas oitavas da Champions na semana passada(Getty Images)

Messi caiu nas oitavas da Champions na semana passada | Getty Images

E Cristiano caiu hoje (15)(Getty Images)

E Cristiano caiu hoje (15) | Getty Images

O tempo é implacável. Até para os melhores de todos os tempos.

Por algum tempo, tem gente que fala por aí que Cristiano Ronaldo e Messi estão em declínio. Como se quisessem rebater os críticos, eles marcavam um hat-trick em jogo decisivo. Ou faziam um golaço. De bicicleta ou de falta. Decidiam uma partida nos lances finais.

E veja bem, eles seguem fazendo isso. Porque não são só acima da média. Estão num patamar que poucos jogadores na história ocuparam. Podem, legitimamente, ter tronos ao lado de nomes como Pelé e Maradona.

Mas está acabando. Apesar de ser o Robozão, Cristiano Ronaldo já tem 37 anos. O E.T Lionel Messi completará 35 em 2022. E suas atuações parecem explicar que, em breve, as carreiras chegarão ao fim.

Messi, com 17 participações em gol em 26 jogos na temporada, e CR7, com 21 gols ou assistências em 31 partidas, ainda são jogadores de elite. Seus números só não chegam ao nível absurdo que eles próprios nos acostumaram a ver.

As eliminações na Champions League obviamente não são culpa exclusiva deles. Mas Messi pouco fez contra o Real Madrid e Cristiano Ronaldo não finalizou uma única vez contra o Atlético de Madrid, uma de suas vítimas preferidas. Não é normal isso acontecer. 

 
Com atuação histórica de Benzema, Real Madrid avança na Champions; veja os melhores momentos

Ver os dois melhores jogadores do século caindo nas oitavas de final da maior Champions de todos os tempos não deixa de ser decepcionante, para quem se acostumou a ter pelo menos um deles nas fases mais avançadas do torneio. Ou levando a taça, como fizeram várias vezes.

Perceber que os dois "deuses" do futebol estão voltando ao patamar de "meros mortais", que já não ocupavam há anos, indica que estamos nos deparando com a reta final da era de Messi e Cristiano Ronaldo.

Por isso, fica o recado: que aproveitemos enquanto ainda é tempo. Até vermos outros jogadores com um auge minimamente parecido ao desses dois, algum tempo já terá se passado.

 
Renan Lodi marca e classifica o Atlético de Madrid em jogo que teve Cristiano Ronaldo apagado; veja os melhores momentos
Comentários